Cenário I

Um príncipe e uma princesa passeiam felizes e de mãos dadas pelos jardins do castelo

Príncipe olhando apaixonado para a princesa:

– Que fim de tarde adorável para passear com a mais linda das princesas… Que pele tão macia tens, que cabelos tão sedosos, que perfume exalas…

Princesa igualmente apaixonada:

– E pensar que já amanhã é nosso casamento e seremos felizes para sempre!

 

Um bruxo mais mal-humorado que feio, mais carente que invejoso, com um toque de engraçado, observa de perto e comenta sem que o casal possa ouvir:

– Mimimi, mimimi, quem aguenta um casal de pombinhos apaixonados?! Argth!

E num tom de voz que os príncipes quase conseguem ouvir:

– Queria ver ela se apaixonar por ti, tivesses este nariz desse tamanho e ainda com uma verruga na ponta!

Num tom introspectivo:

– Humn, isso acabou de me dar uma ideia.

 

Cenário II

Casa do bruxo, muito desorganizada, papéis e objetos para todos os lados. Bruxo procurando algo:

– Eu sei que está aqui, em algum lugar…

Olhando para o público:

– Sim, eu sei que deveria contratar uma bibliotecária!

Fala para si:

– Mas quem aceitaria trabalhar para um bruxo… um bruxo mau. Sim, sou muito mal – tenta convencer-se.

E encontra um papel amarelado onde lê:

Para um príncipe em sapo se transformar

Basta pó de língua de cobra jogar

Numa noite de luar

Um beijo de princesa irá desencadear

O bruxo volta a vasculhar a casa, jogando tudo para todos os lados:

– Aqui está o pó de língua de cobra. Agora só falta o calendário para saber do luar… Onde está o maldito calendário?! Malditas sejam as bibliotecárias que sempre sabem onde está toda a informação! Ah, achei! Hoje! Hoje tem lua cheia!

 

Cenário III

O casal de príncipes agora está sentado no jardim do castelo contemplando o luar, de mãos dadas, sorridentes.

O bruxo se aproxima, furtivo, por trás, e joga sobre a cabeça do príncipe, um pó misterioso. Afasta-se com ar de satisfação, mas fica observando…

Os príncipes estão murmurando palavras doces e sorriem, quando a princesa beija a face de seu enamorado e ele passa a transformar-se em sapo. (Dois figurinistas vestem o ator, no palco, com figurino de sapo).

A princesa espanta-se:

– Meu Deus! Que horror. Que aparência horrível tens, estás… pegajoso e cheiras mal! Não posso me casar contigo! – Sai correndo e prostra-se chorando no canto do palco.

O príncipe-sapo aproxima-se triste e cabisbaixo, mas não a toca:

– Croac, croac…

 

Cenário IV

Amanhece no jardim. A princesa adormeceu de tanto chorar e o príncipe-sapo segue e a seu lado ainda mais triste:

– Croac, croac…

A princesa desperta e o olha com ternura:

– Até que vc não é tão feio, mas… uma princesa não pode casar com um sapo… – Triste.

– Croac, croac!  – diz animado o príncipe-sapo

– Encontrar uma maneira de reverter o feitiço? Mas como?! Ah, já sei, meu pai me disse que toda a vez que não sabemos algo, temos de procurar em uma biblioteca!

 

Cenário V

Na biblioteca, ambiente austero, tudo limpo e organizado. Uma bibliotecária com roupa clara, alinhada, com óculos, os recebe com tom acolhedor:

– Querida, você não pode trazer seu bichinho de estimação para a biblioteca…

A princesa:

– Não, este é o príncipe.

– Ah, me desculpe, já me disseram que preciso trocar os óculos! Então, em que posso ajudá-los?

– Queremos saber como transformar um sapo em príncipe!

– Um momento – enquanto folheia catálogos que parecem intermináveis – Aqui está:

Para um príncipe voltar a ser

Basta um beijo acontecer

Mas haverá de ser

No alinhamento entre Lua, Júpiter e Saturno ao entardecer

 

A princesa e o sapo-príncipe ficam eufóricos. A princesa pergunta:

 

– Quando ocorrerá o próximo alinhamento?

Bibliotecária com cara de “estão me explorando” esses dois, volta ao catálogo, enquanto murmura:

– Chegará um dia em que bastará perguntar ao Google, sem sair de casa… Pensando bem, que vida tão sem graça essa de não ir às bibliotecas! – e num tom de conquista, para os príncipes – Aqui está: em 21 de fevereiro de 2221!

– 2221?! Mas já nem estaremos vivos… – reclama desanimada

– Croac, croac…

– Não aceito essa resposta! Tem de haver outra maneira! As bibliotecas têm todas as respostas! – diz a princesa em tom desafiador

– Bem, então talvez esteja faltando a pergunta certa…

– Como assim?

Bibliotecária, enquanto volta a consultar seu catálogo:

Se amor houver para valer

Uma princesa em sapo pode se converter

Se um beijo de sapo receber

No dia de seu casamento ao entardecer

 

A princesa sai correndo apavorada…

 

Cenário VI

No jardim do castelo novamente, entra a princesa chorando, muito triste… O sapo-príncipe vem em seguida, igualmente triste. Ela diz:

– Como posso aceitar me transformar em sapo, se era exatamente de minha pele macia, de meus cabelos sedosos e de meu perfume que tanto gostavas?!

– Croac, croac, croac, croac!

– Sim, a verdade é que continuo te amando apesar desse aspecto… asqueroso, convenhamos! – a expressão se altera de nojo para sorridente.

Os dois sorriem… Ela se aproxima e lhe oferece o rosto para um beijo. Assim que ele a beija, começa a transformação. (Dois figurinistas vestem a atriz, no palco, com figurino de sapo).

Nisto vai passando o bruxo:

– Afê! Desisto, vai começar o mimimi outra vez!

A bibliotecária distraída esbarra nele, que diz mal-humorado:

– Vê se olha por onde anda!

– Ah, me desculpe, já me disseram que tenho de trocar os óculos…

– Eu estava mesmo precisando falar com a senhora… é que tenho uma papelada desorganizada e isso está atrapalhando minhas bruxarias… – enquanto olha o casal de príncipes-sapos apaixonados e felizes.

A bibliotecária o interrompe com ares de admiração e encantamento:

– Mas que nariz tão lindo o senhor tem… e ainda com uma verruga na ponta! Que charmoso!

O bruxo muda completamente de postura, alinhando-se e tomando um ar de galanteio:

– A senhorita acha mesmo? Bem, eu…

Ela o interrompe novamente:

– Importa-se que lhe desse um beijinho na ponta do nariz?

– Ah, por favor – aproxima-se com ar de satisfação.

Mas imediatamente antes de acontecer, ele dá um passo atrás:

– Espere aí! Se um beijo transformou príncipes em sapos, o que pode acontecer com um bruxo?!

Bibliotecária com ar de esperta:

– É sempre um risco! Um beijo tem o poder de transformar qualquer um em um ser muito melhor!

E o beija na ponta do nariz.
<Licença Creative Commons
O trabalho Os sapos, o bruxo e a bibliotecária de Jussara Borges está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.>

Anúncios